/> Pernambuco: Economia sofre os efeitos da pandemia do Covid-19 - JB NOTÍCIAS

DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

ELEIÇÕES 2020

GIRO POLICIAL

BOM CONSELHO

COVID 19

FATOS E FOTOS

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SAÚDE

SERVIÇOS

TURISMO

MEIO AMBIENTE

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA OPINIÃO

COLUNA VLV ADVOGADOS

» » » » Pernambuco: Economia sofre os efeitos da pandemia do Covid-19


A temporada de cruzeiros, em Pernambuco, geralmente começa em novembro e vai até o mês de janeiro. Em 2020, no entanto, quem trabalha no setor de turismo tem amargado os efeitos da pandemia, que levou os navios e turistas que, anualmente, movimentavam R$ 2,4 milhões na economia pernambucana.

No Bairro do Recife, a presença dos turistas representa grande parte do lucro dos comerciantes. Os garçons seguem limpando, servindo, trabalhando. No entanto, não há muito o que fazer quando a fonte de renda praticamente desapareceu. De acordo com o comerciante Edival Hermínio, as contas, diferentemente dos clientes, seguem chegando aos montes.

"Todo mundo tem seus investimentos, funcionários, contas a pagar. Eu fiquei com um monte de boletos para pagar e foi muito difícil. Graças a Deus, a pandemia foi diminuindo e fomos reabrindo aos poucos", afirmou.

O reforço da presença dos turistas vindos da temporada de cruzeiros ia desde os bares e restaurantes às lojinhas de souvenir da Rua do Bom Jesus. A Embaixada dos Bonecos Gigantes, por exemplo, tinha acabado de cair nas graças dos turistas de cruzeiros, quando a pandemia chegou.

"A gente recebia, em média, 300 turistas por dia, de domingo a domingo, na baixa [estação]. Hoje, esse número, eu diria, está em torno de 20 ou 25. Mas é um processo que tem sintonia com todo o trade turístico", disse Leandro Castro, produtor cultural.

Um levantamento feito pela Empresa Pernambucana de Turismo identificou que, na temporada de 2018/2019, os turistas de cruzeiros ficaram, em média, quatro horas e meia em solo pernambucano, quando gastaram R$ 2,4 milhões.

Segundo Juliana Luck, gerente geral de uma empresa de turismo, a temporada faz falta nas contas da companhia.

"Já tem muitos anos que a gente atende aos navios aqui, na temporada de cruzeiros. A gente já teve anos com mais paradas, com mais navios. Na última temporada, de novembro a março, isso representou 5% do nosso faturamento, dentro desse período. Sem dúvida, é uma falta muito grande, principalmente nesse momento pós-pandemia, de retomada. Seria muito importante para a gente ter esse número de passageiros, fora toda a cadeia que é beneficiada quando os turistas chegam aqui", afirmou.

A administração do Porto do Recife informou que, nos últimos cinco anos, o terminal recebeu uma média de 25 navios por temporada. Oito embarcações esperadas na temporada de 2019/2020 não puderam atracar por causa do risco de transmissão do novo coronavírus.

G1

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: