/> Comércio varejista de Pernambuco tem alta de 10,3% entre maio e junho, aponta IBGE - JB NOTÍCIAS

DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

ELEIÇÕES 2020

GIRO POLICIAL

BOM CONSELHO

COVID 19

FATOS E FOTOS

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SAÚDE

SERVIÇOS

TURISMO

MEIO AMBIENTE

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA OPINIÃO

COLUNA VLV ADVOGADOS

» » » » Comércio varejista de Pernambuco tem alta de 10,3% entre maio e junho, aponta IBGE

Pernambuco teve uma alta de 10,3% no comércio varejista, em junho de 2020, em comparação com o mês de maio, quando o estado passava por medidas mais intensas de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus.

O resultado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi o melhor ao comparar-se dois meses consecutivos. Os números foram divulgados nesta quarta (12) e são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC).

O índice calculado pelo IBGE leva em conta, ainda, o ajuste sazonal entre um mês e o outro. A média nacional no mesmo período foi de 8%.

Em maio, também houve aumento em relação a abril, com variação positiva de 9,9%. No quarto mês do ano, no entanto, o recuo foi de 16,6%, o pior resultado em quase 20 anos.

O IBGE informou que "os resultados positivos do mês de junho foram possíveis porque a base de comparação era baixa, ou seja, o recuo no varejo em abril havia sido muito forte".

Com isso, segundo o instituto, o índice de vendas no comércio varejista no mês de maio e junho chegou ao mesmo patamar do mês de março, quando foram implementadas as primeiras medidas de distanciamento social.

Em comparação com os resultados do comércio varejista entre junho de 2020 e junho de 2019, houve queda de 6,4%, enquanto, no Brasil, houve alta de 0,5%. No estado, a variação acumulada do ano, tomando como base os meses de janeiro a junho do ano anterior, chegou a 7,8% negativos, e o acumulado nos últimos 12 meses também seguiu tendência de queda, com queda de 2,7%.

Este foi o segundo pior resultado por primeiro semestre registrado pela PMC desde o início da pesquisa, sendo superado somente pelo primeiro semestre de 2016, cuja taxa foi de 11,4% negativos.

Em Pernambuco, tanto a variação acumulada no ano quanto a variação acumulada em 12 meses apresentaram recuo maior que do Brasil. O país apresentou, respectivamente, uma queda de 3,1% e uma alta, próxima da estabilidade, de 0,1%.

No caso do comércio varejista ampliado, que inclui aos setores de veículos, motos, partes e peças e material de construção, o volume de vendas teve aumento no mês de junho em relação a maio, com alta de 14,8%.

Em relação a junho de 2019, no entanto, o comércio varejista ampliado registrou um recuo de 2,7%. Todas as outras variações também foram negativas: a queda acumulada no primeiro semestre 2020 foi de 8,7% e a baixa acumulada nos últimos 12 meses foi de 1,2%.

Das 13 atividades pesquisadas, seis apresentaram queda em junho de 2020. A maior foi verificada no comércio varejista ampliado em Pernambuco foi observada no setor de livros, jornais, revistas e papelaria, que teve um índice negativo de 63,6% em comparação a junho de 2019.

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: