DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

ELEIÇÕES 2020

GIRO POLICIAL

BOM CONSELHO

COVID 19

FATOS E FOTOS

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SAÚDE

SERVIÇOS

TURISMO

MEIO AMBIENTE

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA OPINIÃO

COLUNA VLV ADVOGADOS

» » » » Empresários de PE levantam R$ 10 milhões para compra de respiradores


Um grupo que reúne os maiores empresários de Pernambuco juntou recursos para a compra de respiradores para a rede de hospitais do estado, como forma de ajudar no combate à epidemia do novo coronavírus. Até a manhã desta quinta-feira (26), as doações somavam R$ 10 milhões e 160 equipamentos já tinham sido comprados.

Guilherma Cavalcanti, voluntário e porta-voz do grupo, diz que os empresários preferem se manter no anonimato. Segundo Cavalcanti, já passa de 130 o número de empresários que fizeram doação de dinheiro. Entre os participantes, há, também, associações de classe patronais e de funcionários do públicos.

A ideia partiu originalmente de três grandes empresários do estado, que, em conversas com representantes do setor de saúde, identificaram que a falta de respiradores é o maior gargalo da infraestrutura hospitalar de Pernambuco no enfrentamento ao coronavírus. “No boca a boca, a ideia cresceu. Em três dias já tínhamos 40 empresários dispostos a contribuir”, disse Cavalcanti.

As doações têm sido feitas por meio de cotas de R$ 52 mil reais, preço médio de um respirador cotado no início da campanha. “Chegamos a comprar respiradores mais simples por R$ 39 mil, mas o preço foi subindo e hoje alguns mais completos já chegam a R$ 70 mil”, conta Cavalcanti.

Ele diz que o aumento dos preços se deu por conta da alta do dólar – muitos equipamentos foram importados – e também pela dinâmica natural entre demanda e oferta.

Até agora, a maior colaboração foi de um único grupo empresarial que doou 6 cotas. Dos 160 respiradores adquiridos, 30 já foram entregues e 30 devem chegar aos hospitais até o dia 10 de abril. Os 100 que faltam, comprados da General Eletric, só devem ficar disponíveis nos próximos 90 dias.

“Entendemos que mesmo depois de 90 dias ainda vai haver uma demanda alta pelos equipamentos nos hospitais. Vamos continuar comprando”, afirma Cavalcanti. O grupo continua aberto a receber doações, concentrando os contatos em um grupo de Whastsapp.

G1PE

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: