DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

GIRO POLICIAL

PREFEITURA

BOM CONSELHO

PERNAMBUCO

CURSOS E CONCURSOS

CIÊNCIA E SAÚDE

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SERVIÇOS

TURISMO

COLUNA FATOS E FOTOS

COLUNA OPINIÃO

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA VLV ADVOGADOS

» » » Brasileiros resgatados da China deixam quarentena em Anápolis


Brasileiros resgatados da China deixam quarentena em Anápolis - Grupo de 58 pessoas que estava isolado em base aérea de Anápolis após resgate da cidade chinesa de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus, é liberado quatro dias antes do previsto. Três exames deram negativo.O grupo de 58 pessoas que estava em quarentena desde 9 de fevereiro na base aérea de Anápolis, depois do resgate de 34 delas da cidade de Wuhan, na China, foi liberado neste domingo (23/02), quatro dias antes do previsto.

Antes de embarcar em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), em Anápolis, para as suas cidades, o grupo participou de um café da manhã de despedida e de uma cerimônia, com a presença do ministro da Defesa, Fernando Azevedo; do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM); e do prefeito de Anápolis, Roberto Naves (PP).

A liberação foi feita após a confirmação de que os repatriados não estão infectados pelo novo coronavírus. Na última sexta-feira, foi feita a terceira e última coleta de material no Brasil para exame específico para o novo coronavírus, e a análise do Laboratório Central do Estado de Goiás mostrou resultados negativos. Cada um dos repatriados recebeu uma declaração do Ministério da Saúde informando o estado de saúde livre da doença pelo novo coronavírus.

Na conta de YouTube "Brasileiros em Wuhan”, membros do grupo de repatriados divulgaram uma nota de agradecimento ao governo e à sociedade pelo tratamento recebido. Eles haviam postado um vídeo na internet para pressionar o governo brasileiro a resgatá-los em Wuhan, cidade considerada epicentro da doença.

No dia 5 de fevereiro, duas aeronaves da Força Aérea Brasileira partiram para Wuhan, epicentro da doença. Entre brasileiros e familiares de outras nacionalidades, 34 chegaram ao Brasil no dia 9 de fevereiro. Além dos repatriados, 24 profissionais que fizeram parte do resgate também estavam cumprindo a quarentena, inicialmente prevista para durar 18 dias. O procedimento é um protocolo internacional para evitar a disseminação da doença no Brasil.

Até este domingo, no Brasil, não havia registro de casos da doença. Existe, entretanto, um suspeito em investigação no Rio de Janeiro. A partir da última sexta-feira, o Ministério da Saúde passou a considerar como suspeitos aqueles que apresentem febre e outros sintomas respiratórios e que estiveram nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais no Japão, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Singapura, Vietnã, Tailândia e Camboja. Até então, apenas os que estiveram na China eram considerados casos suspeitos. A decisão foi motivada pelo aumento no número de novos casos fora da China e pelo início do Carnaval.

DW

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: