DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

GIRO POLICIAL

PREFEITURA

BOM CONSELHO

ESPORTES

CURSOS E CONCURSOS

CIÊNCIA E SAÚDE

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SERVIÇOS

TURISMO

COLUNA FATOS E FOTOS

COLUNA OPINIÃO

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA VLV ADVOGADOS

» » Lucas Mugni projeta sucesso no Sport


Em sua segunda passagem pelo futebol Brasileiro, o meio-campo Lucas Mugni tenta apagar a má impressão deixada da época em que vestiu a camisa do Flamengo, na temporada de 2014. Aos 27 anos, o armador acredita ter adquirido a experiência que lhe faltou no período em que defendeu o Rubro-negro carioca. Sincero, o argentino relata ter sentido o peso por jogar no Fla e projeta ser protagonista com a camisa do Sport, clube pelo qual tenta mostrar que pode se destacar no Brasil.

- Essa é uma oportunidade que eu queria. Gostaria de uma segunda passagem. Não fiquei feliz com a primeira. Tinha ainda um espinho na garganta da primeira. Na primeira, eu era muito novo, o Flamengo é um dos maiores clubes do Mundo e não aguentei a pressão. Era muito novo e não consegui. Foi uma passagem não muito boa para mim - disse o meia, que jogou pelo Flamengo em 2014, quando tinha 22 anos.

Mais experiente e vindo de uma passagem importante pelo Oriente Petrolero, da Bolívia, onde marcou 10 gols em 46 jogos, Mugni diz ter aprendido a aceitar cobranças e elogios e mostra segurança ao falar sobre a passagem pelo Sport. Sem rodeios, o armador argentino acredita que pode ser o dono da camisa 10 do Leão.

- Aprendi a aceitar as críticas e elogios. Só tem um jeito para ser vencedor: treinar e jogar para o time. É bom que a torcida te ame, mas se não estão felizes, eu tenho que treinar e jogar para o time. Quero ser o camisa 10. Sentir que estou com a camisa 10 é muito bom. Mas dentro de campo não vai mudar meu jeito de jogar. Aprendi que o que valoriza o jogador são gols ou assistência. É ser perigoso.

Acompanhado do empresário, Hernán Jara, Mugni ainda tenta se familiarizar com o Recife. Hospedado em um hotel na orla de Boa Viagem, zona sul do Recife, o jogador dispensa passeios pela praia e diz estar focado em conquistar espaço no time do técnico Guto Ferreira.

- Agora eu sou um profissional 24 horas, quando estou de folga eu como sabendo que pertenço a um time muito grande. É o único jeito de ser um jogador importante. Estou em um clube muito popular e lembro que, quando estava no Flamengo, todos falavam que jogar aqui era complicado.

G1

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: