DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

POLICIAL

PREFEITURA

CURSOS E CONCURSOS

ESPORTES

PERNAMBUCO

CIÊNCIA E SAÚDE

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SERVIÇOS

TURISMO

FATOS E FOTOS

VLV ADVOGADOS

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA OPINIÃO

» » » 30 anos da queda do Muro de Berlim


Neste sábado, 09 de novembro, completa trinta anos da queda do Muro de Berlim, uma estrutura de concreto de 3,6 metros de altura por 150 km de extensão e um campo minado de 50 a 150 metros entre os muros, que separava a cidade de Berlim em leste e oeste e impedia livre trânsito das pessoas.

A construção do muro foi o ápice da disputa, iniciada no fim da II Guerra Mundial, quando os países aliados – União Soviética, EUA, Inglaterra e França - travaram uma batalha paralela pelo controle pela cidade de Berlim, dado que a divisão da principal cidade alemã se daria no ponto de encontro de cada um dos exércitos.

O Muro foi construído na noite do dia 13 de agosto de 1961 com a colocação de 42 km de arame farpado para dividir o leste liderado pela antiga União Soviética e do oeste capitalista liderados pelos Estados Unidos. Entre 1961 e 1989 organizações da sociedade civil contabilizaram mais de 1000 mortes dos tentaram ultrapassar a fronteira. Historiadores, avaliam que a construção do muro teve, além do apoio da Rússia, a aceitação tácita das potências aliadas.

A queda do Muro teve influência das greves do Sindicato Solidariedade na Polônia em 1981, das mudanças iniciadas por Mikhail Gorbachev na Rússia, em 1985, e da derrota russa no Afeganistão, guerra que durou uma década.

A população da antiga Alemanha Oriental foi decisiva. No dia 09 de novembro de 1989, como tentativa de segurar as manifestações, o governo da Alemanha Oriental se dirigiu à população dizendo que falava em nome do povo. Em resposta, ouviu “o povo somos nós”. O que foi a senha para a destruição da parede que separava a cidade. Aquela noite passou para a história como a da queda do Muro de Berlim, com imagens que correm o planeta até hoje.

A queda do Muro foi tão marcante que o maior historiador do Século XX, o inglês Eric Hobsbbawn, declarou que o século havia acabado naquela noite de 1989 e, o que viria dali para a frente seria tema para o novo século.

Com as comemorações que vão até domingo para marcar a reunificação acontece o debate sobre o que eles chamam de muro invisível marcado por diferença salarial, riqueza e oportunidades nos escalões superiores dos que são da parte oriental da cidade. Mesmo assim, a cidade é fantástica e símbolo do dinamismo da maior economia Europeia. É um lugar de pessoas que, na primeira conversa, desfaz os mitos de que são fechados e desatenciosos. É uma cidade aberta ao ponto de ter recebido mais de 1 milhão de refugiados nos últimos anos.

Do Muro, restam pedaços preservados para a história como exemplo a ser evitado e a produção em série de pedaços a serem vendidos como originais em lojas de suvenires da capital alemã. Aliás uma das mais bonitas e bem organizadas cidades que já vi.

Francisco Alexandre
Ex-diretor eleito de Planejamento da Previ e ex-presidente da BRF Food Previdência

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: