DESTAQUES

Tecnologia do Blogger.

GIRO POLICIAL

PREFEITURA

BOM CONSELHO

PERNAMBUCO

CURSOS E CONCURSOS

CIÊNCIA E SAÚDE

ECONOMIA

EDUCAÇÃO

SERVIÇOS

TURISMO

COLUNA FATOS E FOTOS

COLUNA OPINIÃO

COLUNA ENSAIO GERAL

COLUNA VLV ADVOGADOS

» » » GARANHUNS: DOZE CANDIDATOS PEDEM ANULAÇÃO DA ELEIÇÃO DO CONSELHO TUTELAR


Doze dos vinte candidatos na eleição do Conselho Tutelar, realizada em Garanhuns, no último dia seis, entraram com um pedido de impugnação do pleito. Segundo eles, que recorreram à Comissão Especial Eleitoral e enviaram copia do documento ao Ministério Público, no dia da votação e na apuração ocorreu uma série de irregularidades.

Dentre elas, eles citam o não cumprimento do horário de votação em algumas seções, por falta de servidores convocados para trabalhar; eleitores com documentos com foto e título de eleitor impedidos de exercer seu direito, por conta do nome não constar da listagem; fiscais dos candidatos orientando os que estavam trabalhando e não funcionários públicos convocados especialmente para isso e listas extras manuais para os eleitores assinarem para votar, uma vez que não constavam seus nomes nas litas do TRE.

De acordo com os candidatos que pedem a impugnação, durante a apuração dos votos observou-se que nas listas disponibilizadas pelo TRE, havia apenas o número do título de eleitor, porém as pessoas votaram e não assinaram a lista. “Por outro lado, algumas dessas listas disponibilizadas pelo Tribunal Regional Eleitoral continham apenas a assinatura dos eleitores, sem o número do título eleitoral”, frisa o documento entregue à Comissão Especial e ao Ministério Público.

Eles reclamam ter sido constatado que eleitores não alfabetizados votaram com a digital sem o número do título na lista extra que fizeram, impossibilitando a identificação do eleitor.

Outra irregularidade apontada foi que durante a contagem dos votos muitas cédulas foram anuladas por falta da assinatura do mesário ou presidente da mesa, “de modo que o eleitor perdeu seu voto por incompetência ou má fé de quem estava trabalhando”.

Na longa relação de supostas irregularidades, os candidatos reclamantes incluem ainda que “foi observada em urnas, maior quantidade de cédulas, em discordância da lista disponibilizada pelo TRE, ou seja, mais cédulas do que assinaturas”.

Os reclamantes denunciam que durante a contagem dos votos foi identificado um parente em primeiro grau de uma candidata, violando o artigo 41 da Resolução Regulamentadora 16/2019.

No final, eles ainda consideram irregular o fato de na confecção da Ata com o resultado, apenas oito candidatos estavam presentes, descumprindo o edital. “Alguns candidatos foram assinar no dia seguinte”, completam a denúncia.

Pedido de impugnação da eleição foi assinado por  Moretson, Renata Síndica, Odhete, Marcelino, Eliane Silva, Josélia, Marquinhos da Liberdade, Diana, Cida, Fernandinho DJ e Michely.


Fonte: Roberto Almeida

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: