Tecnologia do Blogger.

DESTAQUES

TV WEB JB NOTÍCIAS

POLICIAL

DIVERSOS

SAÚDE

EVENTOS

ESPORTES

NOVIDADES

EDUCAÇÃO

ELEIÇÕES 2018

PREFEITURA

» » » MACACO SÓ OLHA PRO RABO DOS OUTROS........


Talvez você já tenha dito ou escutado alguém dizer esta frase acima. Mas já parou pra pensar no significado dela? No dia-a-dia nos deparamos com situações que nos fazem relembrar a essência deste provérbio popular. Volta e meia encontramos pessoas que ás vezes por menor que seja o defeito do outro já vê motivos para falar, criticar e até menosprezar a função de outrem.

Um exemplo bem claro disso e até comum acontecer, é tecermos comentários depreciativos muitas das vezes por meio de críticas a uma gestão municipal. O que não deixa de ser um direito do cidadão reivindicar melhorias para a sua cidade ou seu município. E qualquer gestor que se preze deve ouvir os anseios do seu povo. Porém, a situação se inverte quando deixamos de cumprir com os nossos deveres de cidadãos.

Lembra agora da frase: “Fulano só fala mal dos outros, é assim mesmo: macaco não olha o rabo”? Será que não estamos fazendo o papel deste personagem símio quando jogamos entulhos na Rua, quando jogamos lixo em via pública, causando transtornos a outros. Quando fechamos as calçadas que por direito é para o pedestre andar. Quando fazemos a frente da nossa casa cemitério de carro velho, denegrindo a imagem da cidade. Quando fazemos alguma obra ou serviço em via pública fora do nosso direito legal? Será que só temos olhos para ver o defeito dos outros e nunca os nossos?

Não, não sabemos fazer a nossa parte, não admitimos que na maioria das vezes nós é que somos desonestos, nós é que não sabemos gerir nem mesmo a nossa casa, e ai fica fácil falarmos mal, criticarmos um prefeito, uma prefeitura, um governo do estado e até o presidente da República, mas não temos a competência nem a ombridade de limparmos a frente da nossa própria casa nem de vivermos em comunidade civilizadamente. 


«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: