Tecnologia do Blogger.

DESTAQUES

TV WEB JB NOTÍCIAS

POLICIAL

DIVERSOS

SAÚDE

EVENTOS

ESPORTES

NOVIDADES

EDUCAÇÃO

ELEIÇÕES 2018

PREFEITURA

» » » AS CRÔNICAS DE ZÉ ROBERTO: REZA, PIRÃO E SOLA


Reza, Pirão e Sola
José Roberto Pereira

Quando tinha em torno de seis anos, ouvi uma conversa entre minha bisavó Zizi, minha avó Caridade e minha mãe.
Falou a Bisa: “Lourdes (minha mãe) qualquer criança deve ser criada com Reza, Pirão e Sola. Toda criança tem que aprender todas as rezas e ensinamentos da nossa amada Igreja Católica; nunca deixe faltar alimento para sua criança, pois uma criança nutrida será inteligente, e minha filha!, quando precisar “corrigir” nunca bata nem nas costas ou na cabeça, agora na bunda e nas pernas não tem problema e outra coisa, só se corrige uma criança até os 8, 9 anos  no máximo, do contrario ela poderá ser um adulto introvertido ou medroso. Ficava sempre no colo da Bisa, numa cadeira de balanço ao lado da Matriz de Quebrangulo e vendo o movimento da estação. Bons tempos aqueles. Minha mãe seguiu religiosamente o conselho da sua tia (minha avó paterna era prima legítima da minha mãe). Fui uma criança levada, dentro da normalidade, e quase toda semana entrava na “correção”.

Fui criado e criei meus filhos dentro desta filosofia e todos (três filhos e uma filha) do bem, dentro dos princípios éticos da sociedade. Já não se faz pai, filho e família como antigamente. Está havendo uma degradação de valores muito grande, e como a sociedade procura uma saída, existe o vale tudo das Novas Igrejas Evangélicas (tenho um respeito muito grande pelos tradicionais). Não sou saudosista, apenas procuro acompanhar o próprio tempo, sem perder as origens e seus ensinamentos.

Esta degradação que está passando a sociedade ocidental, principalmente no sentido da família, não acontece com a sociedade árabe, ou asiática. Nestas os valores seculares estão preservados, o ancião respeitado, sentido de união tribal. Naquela não existe respeito, o idoso maltratado, pai matando filho (e vice-versa) não existe fé nem religiosidade. Eu me pergunto:
Quantos Frei Caetano, Frei Damião, Padre Cícero, Antônio Conselheiro e tantos outros seriam necessários hoje para a propagação da ética e decência? Hoje a religião (berço máster da sociedade) tem que ser e continuar laica.

Todas as religiões desde Confúcio (5.000 anos A. D), Buda, Maomé, Abraão e Jesus sempre tem o respeito humano e a paz como princípios fundamentais. Radicais e guerras religiosas sempre existiram e fazem parte da cultura tribal desde o início da raça humana. Que me desculpem os que defendem os “direitos humanos” o que está faltando na sociedade ocidental é o velho princípio do Reza, Pirão e Sola. Se naquele tempo houvesse a Lei da Palmada minha saudosa e querida mãe Lourdes pegaria uns 30 anos e este seu amigo uma perpétua. Nunca devemos esquecer nossos valores familiares, são a base de tudo.

«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe sua opinião sobre essa matéria: