Tecnologia do Blogger.

DESTAQUES

TV WEB JB NOTÍCIAS

POLICIAL

DIVERSOS

SAÚDE

EVENTOS

ESPORTES

NOVIDADES

EDUCAÇÃO

ELEIÇÕES 2018

PREFEITURA

» » » Correios anuncia suspensão de férias de funcionários até 2018


Uma nota divulgada pelos Correios nesta terça (21) assustou funcionários da empresa em todo o Brasil. Com o título “Contingenciamento de despesas”, o texto anuncia que a concessão de férias aos trabalhadores está suspensa até abril de 2018.

Além disso, os Correios não pretendem mais convocar funcionários para trabalharem em horas-extras. O texto diz que os Correios estão com os custos maiores do que as receitas e acumula dois anos de prejuízo, que somam aproximadamente R$ 4 bilhões.

O anúncio teria sido feito pela Diretoria-Executiva: “A situação financeira dos Correios exige ações imediatas para reerguer a empresa”.

Leia o comunicado na íntegra:

Contingenciamento de despesas

Diante da situação financeira dos Correios, que é marcada por dois anos com prejuízo acumulado em cerca de R$ 4 bilhões e custos maiores que as receitas, a Diretoria-Executiva da empresa colocará em prática algumas medidas de contingenciamento de despesas na área de pessoal.

A concessão de férias será suspensa de maio deste ano até abril de 2018. Só poderá usufruir férias quem estiver com o período concessivo vencido. Isso significa que o trabalhador deverá, necessariamente, sair de férias no mês anterior ao do vencimento do seu período concessivo. Membros de uma mesma família que já tenham seu período marcado poderão sair de férias, no caso em que uma das pessoas envolvidas possua período concessivo em vencimento.

Ainda com o objetivo de recuperar a empresa, a diretoria suspendeu a convocação de empregados com pagamento de horas extras para efetuar jornadas de trabalho em dias de repouso trabalhado ou que não tenham jornada regular em fins de semana, além da revisão/supressão de contratos de mão de obra temporária (MOT).

A área de gestão de pessoas emitirá orientações adicionais para o cumprimento destas medidas.

A situação financeira dos Correios exige ações imediatas para reerguer a empresa.

DERIC/GCOM


«
Anterior
Postagem mais recente
»
Próximo
Postagem mais antiga