Como fica a matemática das Eliminatórias para a Copa de 2018 após a 11ª rodada


O empate sem gols entre Colômbia e Chile, nesta quinta-feira (10), em Barranquilla, e a vitória do vice-líder Uruguai por 2 a 1 sobre o Equador, em Montevidéu, além da surpreendente goleada de 4 a 1 do Peru sobre o Paraguai, em Assunção, fizeram com que os 3 a 0 do Brasil sobre a Argentina, no Mineirão, ganhassem em imprtância.
Com o resultado, o Brasil chegou aos 24 pontos e abriu oito de vantagem sobre a sexta colocada, que é justamente a Argentina. Nas três Eliminatórias disputadas neste formato de ida e volta, com as dez seleções sul-americanas se enfrentando em turno e returno, a pontuação máxima para se garantir pelo menos o quarto lugar, que dá vaga direta na Copa do Mundo, foi 28. Isso aconteceu em 2002.
Para o Mundial de 2006, na Alemanha, 26 pontos foram suficientes. A vaga na África do Sul foi alcançada com 25. Na quarta-feira (16), se o Brasil vencer o Peru, em Lima, chega aos 27 pontos. E o time de Tite, que há cinco rodadas não figurava nem no G-5, pode carimbar o passaporte para a Rússia com seis rodadas de antecipação.

Empolgação

Mas o duelo em Lima não será nada fácil para a Seleção Brasileira, pelo menos se for considerada a empolgação peruana. Força sul-americana nos anos 70 e 80, na Era Cubillas, eles não vão a uma Copa do Mundo desde 1982, na Espanha.

E com a goleada de ontem, os peruanos entraram definitivamente na briga por uma vaga no Mundial da Rússia, pois estão na oitava posição, mas com 14 pontos, apenas três a menos que o quinto colocado Chile e o quarto, Equador.

Apesar da goleada no Mineirão e de se manter na sexta colocação, a Argentina sai da 11ª rodada com ótimas chances ainda, pois apenas um ponto a separa do quinto colocado Chile e do quarto, que é o Equador.
A Colômbia perdeu a chance de abrir vantagem na terceira posição com o 0 a 0 diante dos chilenos, em casa, e agora tem na próxima terça-feira (15) um grande desafio, pois encara uma mordida Argentina, em San Juan.

Uruguai

Além do Brasil, o Uruguai, com os 2 a 1 sobre o Equador, no Centenário, também ficou em ótima situação para se garantir na Rússia.

Os 5 a 0 da Venezeuela sobre a Bolívia, em Maturín, na primeira vitória dos venezuelanos nestas Eliminatórias, fizeram a lanterna mudar de mãos.

A CLASSIFICAÇÃO DAS ELIMINATÓRIAS



SELEÇÃO
PG
J
V
E
D
GF
GC
S
A(%)
1º Brasil
24
11
07
03
01
26
09
17
72,7
2º Uruguai
23
11
07
02
02
23
08
15
69,7
3º Colômbia
18
11
05
03
03
15
12
03
54,5
4º Equador
17
11
05
02
04
19
16
03
51,5
5º Chile
17
11
05
02
04
18
16
02
51,5
6º Argentina
16
11
04
04
03
11
12
-1
48,5
7º Paraguai
15
11
04
03
04
11
16
-5
45,5
8º Peru
14
11
04
02
05
18
18
0
42,4
9º Venezuela
05
11
01
02
08
14
26
-12
15,2
10º Bolívia
04
11
01
01
09
09
31
-22
12,1

Como fica a matemática das Eliminatórias para a Copa de 2018 após a 11ª rodada Como fica a matemática das Eliminatórias para a Copa de 2018 após a 11ª rodada Reviewed by Josenildo Batista on sexta-feira, novembro 11, 2016 Rating: 5

Anuncie Aqui!

JB NOTÍCIA © Copyright 2017. Tecnologia do Blogger.